quarta-feira, 8 de agosto de 2018

10 recomendações alimentares para viagens de automóvel com muito calor

Com o início das férias, chegam também as longas viagens de carro. Com o calor intenso os cuidados devem ser redobrados. Em particular, se as viagens são longas e se vão crianças a bordo. Ao longo das estradas são muitas as estações de serviço onde podem ser feitas refeições e comprar alimentos. No entanto, a grande maioria apresenta opções muito caras e uma oferta, muitas vezes, excessivamente calórica e nutricionalmente pouco interessante.

NESTE SENTIDO, DEIXAMOS AQUI ALGUMAS RECOMENDAÇÕES PARA OS ALIMENTOS A LEVAR EM VIAGEM:

– Hidrate-se! Beba água! Nestas viagens, especialmente nos períodos de maior calor, uma correta hidratação é essencial. Quando estamos desidratados a nossa capacidade de atenção e reação está diminuída, o que não deve acontecer. Em particular para quem conduz. Mas a desidratação também se associa a irritação e má-disposição. Não vale a pena. Leve sempre consigo uma ou mais garrafas de água, arrefecidas na noite anterior, em quantidade suficiente para todos os elementos presentes no carro. E prefira roupas frescas que não o façam suar em excesso.
– Opções práticas. Opte por alimentos práticos e de fácil consumo. Os frutos oleaginosos (noz, amêndoa, amendoim, pinhão, avelã) são uma excelente opção. Fornecem energia de qualidade, prolongam o período sem fome, são saborosos e ocupam pouco espaço.
– Prefira alimentos que não se alterem com o calor. O pão (mistura ou integral), frutos oleaginosos, a fruta lavada e até fruta seca (alperces, figos secos…) são boas opções.
– Pré-prepare os alimentos para comer enquanto viaja. Lave a fruta, separe os bagos das uvas, faça sandes mini, tenha guardanapos suficientes, pense em quem vai comer e adeque as porções. Lave bem as mãos antes de iniciar a preparação. Se fizer as sandes na noite anterior, guarde tudo no frigorífico.
– Evite levar: alimentos com molhos (maionese, natas), gelatina, produtos de pastelaria com cremes (creme de ovos, chantilly), marisco, quiches, empadas ou folhados que poderão facilmente alterar-se com o calor e apresentar risco microbiológico.
– Se optar por levar alimentos mais perecíveis (queijo, fiambre, iogurtes, etc.) acondicione-os em geleiras, sacos ou malas térmicas com cuvetes de gelo ou placas frias para manter a temperatura. O mesmo para os sumos naturais.
– Antes da viagem, verifique se tem o automóvel em lugar fresco, ar condicionado em boas condições e o telemóvel carregado. Evite iniciar uma viagem com alimentos guardados num automóvel já quente.
– Faça uma pequena refeição antes de iniciar a sua viagem. Evite passar longos períodos sem comer, especialmente se as viagens forem longas.
– Aproveite as paragens para esticar as pernas e beber água. Faça alguns alongamentos. Se estiver muito calor evite estar ao ar livre. Arrume a comida em lugar protegido do calor e de fácil acesso ao longo da viagem.
– Por fim e regra número 1 em dias de viagem com muito calor. Evite totalmente qualquer bebida alcoólica. O álcool aumenta o risco de desidratação, retira a capacidade de reação, dá uma falsa sensação de controlo e é responsável por grande parte dos acidentes na estrada.
Fonte: https://nutrimento.pt

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Verão & Saúde – Boletim Diário disponível para consulta

A Direcção-Geral da Saúde informa que se encontra acessível para consulta toda a informação relativa ao Plano de Saúde Sazonal – Verão & Saúde. O Boletim Diário disponibiliza, todos os
dias, a informação actualizada relativa à evolução dos indicadores monitorizados no Plano de Contingência Saúde Sazonal - Módulo Verão (1 de maio e 30 de setembro) , nomeadamente:      
  • O índice Ícaro, que nos permite monitorizar a previsão do efeito da temperatura do ar na mortalidade,
  • A procura dos cuidados de saúde pelos cidadãos nos Cuidados de Saúde Primários, nos Cuidados de Saúde Hospitalares, no centro de contacto SNS 24 (808 24 24 24) e no INEM. 
Deste modo, é disponibilizada informação em tempo útil à população, bem como aos parceiros do sector da saúde, para uma adequada preparação da sua resposta.
 
Dispõe, ainda, de Recursos adicionais que disponibilizam ligações de acesso ao referencial do Plano de Contingência Saúde Sazonal - Módulo Verão 2018, aos Planos de Contingência Regionais, à Plataforma Saúde Sazonal da Direção-Geral da Saúde, bem como a outros sistemas de vigilância.

Mais informação aqui.

10 recomendações para a alimentação em dias muito quentes

Quando há exposição ao calor intenso ao longo de vários dias consecutivos, o organismo pode ressentir-se, aumentando o número e tempo de duração de cãibras, podem ocorrer náuseas, vómitos, tonturas, alterações na respiração e no ritmo cardíaco. Em casos extremos podem ocorrer golpes de calor e esgotamentos pelo calor, situações que necessitam de cuidados médicos imediatos.
No decorrer de uma onda de calor, a temperatura ambiente aumenta e consequentemente aumenta também a perda de água pela transpiração, sendo esta a principal forma de arrefecimento do corpo. Nestas situações, a prioridade é manter-se bem hidratado e afastado das fontes de calor, sempre que possível.
ATRAVÉS DA ALIMENTAÇÃO É POSSÍVEL PREVENIR OS EFEITOS DO CALOR INTENSO, DEIXAMOS-LHE 10 RECOMENDAÇÕES A SEGUIR:
  1. Mantenha-se bem hidratado mesmo que não sinta sede. Aumente a ingestão de água e infusões sem adição de açúcar ao longo do dia;
  2. Dê um sabor saudável  à sua bebida. Pode aromatizar a sua água, de forma natural, adicionando um pedaço de fruta (limão, laranja, lima…), hortícolas (pepino…), especiarias (canela…) ou ervas aromáticas (hortelã…);
  3. Opte por alimentos sólidos que são ricos em água como frutos e hortícolas, cozinhados ou em cru;
  4. Coma sopa para se hidratar. É a forma mais segura de hidratação no verão, podendo sempre optar pelas suas versões frias (p.ex.: gaspacho);
  5. A água é portátil. Lembre-se de ter sempre consigo uma garrafa de água, em particular quando se desloca (praia, exercício, viagem de automóvel…);
  6. Evite bebidas alcóolicas, excessivamente açucaradas ou com cafeína, em particular no Verão. Em vez de hidratarem contribuem para a perda de água. Além disso, o álcool em excesso é um forte agressor do sistema hepático;
  7. Monitorize a sua ingestão de água. A cor da urina pode ser um marcador do nosso estado de hidratação. Esta deve ser abundante, incolor e inodora;
  8. Faça refeições leves e mais frequentes e evite refeições pesadas e muito condimentadas. Escolha locais com uma boa oferta de bebidas saudáveis;
  9. Acondicione e transporte os alimentos mais perecíveis (queijo, iogurtes, marisco, ovos, etc.) em geleiras, sacos ou malas térmicas com cuvetes de gelo ou placas frias para manter a temperatura. Uma infecção alimentar aumenta perigosamente o risco de desidratação;
  10. Vigie os familiares de risco, em particular as crianças e incentive os amigos a beber água ao longo do dia e no local de trabalho. O mau humor e o bom desempenho cognitivo têm muito a ver com uma hidratação adequada!
As pessoas que sofram de doença crónica, ou que estejam a fazer uma dieta com redução de sal, ou com restrição de líquidos, devem aconselhar-se com o seu médico, ou contactar a linha Saúde Pública:808 242424.

Tenha cuidados redobrados com os recém-nascidos, crianças, idosos ou pessoas doentes, pois mais frequentemente podem não sentir ou manifestar sede, devendo oferecer-lhes água, insistir para que bebam mesmo sem sede e permanecer atento e vigilante.

Mantenha-se hidratado.