quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Proteja-se do frio!

Quando as temperaturas estão muito baixas é importante que se mantenha quente e seguro. A exposição a baixas temperaturas, no interior e no exterior, pode causar riscos sérios ou letais para a saúde.
Permanecer em casa pode ser uma medida adequada a várias situações, mas também aqui poderá encontrar perigos vários que importa conhecer. Muitas casas estarão frias devido à falta de energia ou porque o sistema de aquecimento não é adequado à temperatura. Quando somos forçados a utilizar aquecedores e lareiras aumenta o risco de incêndio, bem como o de intoxicação por monóxido de carbono.
Emergências médicas relacionadas com o frio
Hipotermia
Quando exposto a baixas temperaturas, o corpo perde calor mais depressa do que o que consegue produzir. O resultado é a hipotermia, ou seja, temperatura corporal excessivamente baixa, situação perigosa, pois a pessoa poderá não se aperceber da gravidade da sua situação e assim não fazer nada para a corrigir.
São geralmente vítimas de hipotermia:
  • Idosos com fraca alimentação, roupa ou aquecimento;
  • Bebés que dormem em quartos frios;
  • Pessoas que permanecem por períodos prolongados no exterior;
  • Consumidores de álcool ou drogas.

Sinais de aviso – Adultos
  • Tremores, exaustão;
  • Confusão, mãos inquietas;
  • Sonolência, perda de memória, fala “lenta”/baralhada/ confusa.

Sinais de aviso – Crianças
  • Pele muito vermelha e fria.

O que fazer?
Se notar alguns destes sinais, procure ajuda médica e em caso de emergência ligue 112. Aqueça a pessoa da seguinte forma:
  • Coloque a vítima num quarto quente ou num abrigo;
  • Se a vítima estiver com a roupa molhada retire-a, mantendo a pessoa seca e quente enrolada num cobertor, incluindo cabeça e pescoço;
  • Aqueça a parte central do corpo;
  • Sirva bebidas quentes, que podem ajudar no aumento da temperatura corporal. Não ofereça bebidas alcoólicas, nem tente dar de beber a uma pessoa inconsciente;
  • Mantenha a temperatura.

Queimaduras pelo frio
As queimaduras pelo frio são lesões causadas por congelação que provocam perda de sensibilidade e de cor nas zonas afetadas. Estas queimaduras atingem mais frequentemente o nariz, orelhas, bochechas, queixo, dedos das mãos e dos pés.
Como reconhecer queimaduras pelo frio?
Ao primeiro sinal de vermelhidão ou dor em qualquer zona da pele, saia do frio e proteja a pele exposta. Qualquer dos seguintes sinais poderá indicar queimaduras:
  • Área da pele branca ou acinzentada;
  • Pele invulgarmente firme ou cerosa.

O que fazer?
Se detetar sinais de queimaduras procure ajuda médica. Se existirem queimaduras sem sinais de hipotermia e não existir auxílio médico imediato, proceda da seguinte forma:
  • Vá para uma divisão aquecida logo que possível;
  • Submerja a área afetada em água morna – não quente (a temperatura deverá ser confortável ao toque nas áreas do corpo não afetadas) – ou aqueça a área afetada com calor corporal;
  • Não massaje a área queimada, pois pode causar mais danos;
  • Não use compressas aquecedoras, ou fontes de calor para aquecer, uma vez que as áreas afetadas estão dormentes e poderão queimar facilmente.

Para mais informações, viste o Instituto Nacional de Emergência Médica, IP em http://www.inem.pt

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Alimentação saudável no Natal

O Natal é tempo de celebração e um importante momento de convívio prolongado em volta da mesa. No entanto, e de acordo com a Direção-Geral da Saúde (DGS), não se restringe apenas aos dias 24 e 25 de dezembro, podendo começar mais cedo e terminar no dia de Reis.
Nesta época do ano, o consumo alimentar altera-se frequentemente. Comer para celebrar a vida deve incluir a alegria dos sabores e do convívio. Mas também os saberes ou a sabedoria que permite juntar saúde com prazer à mesa.
Assim, a DGS, através do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável,  apresenta as seguintes  seguintes sugestões natalícias de alimentação saudável:
  • Inicie a véspera e o dia de Natal com um pequeno-almoço saudável e equilibrado
    • À semelhança dos outros dias do ano comece o seu dia comum pequeno-almoço equilibrado, deixando de parte os doces e outros alimentos menos saudáveis. Este pequeno passo vai ajudá-lo a ficar saciado e evitar que opte mais facilmente por opções menos saudáveis.

  • Ajude e proteja os artesãos alimentares da sua região
    • Escolhendo produtos da nossa tradição gastronómica, não massificados, promovendo a biodiversidade e o emprego local. O Natal é a altura certa para procurar o produto alimentar que corre riscos de desaparecer. E Portugal tem bastante variedade. Desde A de Azeite de Trás-os-Montes até T de Travia da Beira Baixa são inúmeros os produtos que vale a pena preservar e proteger através da sua compra para momentos especiais.

  • Inicie as suas refeições natalícias com uma sopa
    • De preferência com hortícolas. Em vez da batata, pode utilizar leguminosas como feijão, ervilha ou grão. Este tipo de sopa promove a saciedade por um período mais longo de tempo, hidrata, é fonte de vitaminas, fibra, minerais e antioxidantes e fornece poucas calorias comparada com outras entradas da época.

  • Acompanhe as refeições com hortícolas e outros produtos vegetais, sempre que possível
    • Desde as tradicionais couves cozidas aos grelos, cogumelos, purés de lentilhas, de ervilhas, de castanhas até às mais recentes beringelas ou curgetes são excelentes formas de reduzir a ingestão de calorias, gordura animal e colesterol.

  • Dê atenção a preparados culinários mais simples
    • Estufados (sem refogar os alimentos), cozidos a vapor ou grelhados são preferíveis a outros preparados que degradam mais os nutrientes, como os assados. Evite fritar. Se assar, retire as partes mais escuras ou queimadas antes de servir.

  • Disponha de pão fresco de qualidade, de várias variedades e com algum pão integral pela mesa
    • O pão de qualidade fornece menos calorias, gordura e sal do que bolachas, salgados e outros aperitivos, além de ter uma excelente digestibilidade e ser uma boa fonte de vitaminas.

  • Opte pelo arroz
    • Em Portugal, cozinha-se o arroz como nenhum outro país na Europa. Arroz simples, arroz malandro com hortícolas ou feijão é uma opção de acompanhamento nutricionalmente adequada no Natal e em qualquer época do ano.

  • Reabilite os figos, ameixas, passas e alperces secos
    • Podem ser uma alternativa às bolachas, aperitivos doces e bolos indiferenciados que se colocam na mesa nesta altura do ano. Embora tenham mais açúcar que os frutos frescos (e por isso devem ser consumidos com moderação), são ricos em fibra, pobres em gordura e com baixo teor de sal, o que não acontece com a maioria da doçaria.

  • Invista numa grande e colorida salada de frutas
    • Deve fazer parte do centro de todas as mesas de Natal. Enfeitada com uma romã dará um excelente efeito natalício. Uma salada de fruta é garante de grande densidade nutricional, ou seja, de muitos nutrientes e menos calorias. E também de fibra e água e, assim sendo, menos vontade de comer as «bombas calóricas» seguintes.

  • Enfeite a mesa com uns bonitos jarros de água e escolha copos de água de qualidade.
    • Nestes dias festivos, a omnipresença de uma boa água mineral na mesa é uma opção saudável e que pode contribuir para uma melhor diurese, para a regulação da pressão arterial, aumentar a saciedade e, acima de tudo, evitar o consumo excessivo de bebidas açucaradas e até alcoólicas de maior valor calórico.

  • Atividade física
    • Não existe um Natal saudável sem uma compensação de maior gasto energético. Com equipamento adequado todas as oportunidades são boas. Desde caminhar às compras até a um bom passeio em família ou mais uma hora no ginásio num dia menos apressado. Cada minuto a mais conta. E em janeiro ou no próximo verão o fato de banho vai agradecer.

  • Proteja o meio ambiente
    • Prefira água da companhia. Mais barata e igualmente de grande qualidade.
    • Evite comprar mais plástico e poluir os nossos oceanos.
    • Compre produtos nacionais e de proximidade.
    • Prefira produtos sazonais.
    • Se possível, invista em alimentos produzidos em modos de produção biológica ou integrada.
    • Reutilize as sobras.